Veja na íntegra matérias e aparições do Baía Sul Hospital na mídia

Acompanhe as novidades do Baía Sul Hospital

Saiba tudo que acontece no Baía Sul Hospital. Acompanhe aqui as notícias semanais, eventos e acontecimentos importantes.

Após seis meses de pandemia em Santa Catarina, população precisa dar atenção aos exames de rotina

Alerta é da Clínica Imagem, que reforça a importância de manter os exames em dia para evitar riscos à saúde. Em setembro, Santa Catarina completou seis meses desde o primeiro caso confirmado de Covid-19 no Estado e, aos poucos, é possível notar uma melhora na situação da pandemia, com diminuição do número de novos casos. Com isso, vem o reforço e o alerta para que a sociedade retome a realização dos exames de rotina, que ficaram em segundo plano durante esses meses. A médica Cristina Barreto, da Clínica Imagem, de Florianópolis, reforça que os ambientes estão preparados de acordo com as normas de segurança da vigilância sanitária e epidemiológica para garantir a segurança de todos e que adiar ainda mais os exames pode acarretar prejuízos para a saúde da população. “Nos piores meses da pandemia sentimos que a população estava com medo de frequentar os ambientes médicos, por mais preparados que eles estivessem para garantir a segurança de todos. Agora, com a situação um pouco melhor em relação à crise da Covid-19, é fundamental que todos retomem os seus exames. O diagnóstico precoce pode facilitar a cura para muitas doenças”, reforça Dra. Cristina. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica e Sociedade Brasileira de Patologia estimam que nos dois primeiros meses da pandemia entre 50 e 90 mil brasileiros deixaram de receber o diagnóstico de câncer. “São números expressivos em que veremos as consequências nos próximos meses. Na Clínica Imagem, desde o início da pandemia, criamos protocolos de segurança que garantem aos pacientes um ambiente preparado para a realização dos seus exames”, comenta Cristina. A Dra. Aline Patrícia Bianchini, médica radiologista e especialista em imagem da mulher, explica ainda que a recomendação é que a população realize suas consulta e exames de rotina, conforme orientação médica, e que o atraso diagnóstico pode gerar consequências especialmente em doenças tempo-sensíveis, como o câncer. Além disso, homens e mulheres têm exames específicos que devem ser feitos com frequência, como o Papa Nicolau a mamografia, no caso delas, e exame de próstata, no caso deles. “A mamografia, por exemplo, deve ser feita uma vez por ano a partir dos 40 anos, e a partir dos 30 anos para quem tem casos de câncer na família. Manter o cuidado com a nossa saúde deve ser prioridade, mesmo em tempos de pandemia”, conclui a Dra. Aline. A Clínica Imagem, em Florianópolis, está atendendo normalmente, seguindo protocolos rígidos que garantem a segurança de todos, como distanciamento de sua recepção, espaçamento em agendas e higienização constante e reforçada de suas salas e espaços. Os agendamentos dos exames podem ser feitos de segunda a sexta, das 8h às 20h, ou aos sábados, das 8h às 14h, pelo telefone (48) 3229-7777.

17 de Novembro MAIS

Clínica Coris passa a integrar a Hospital Care

A Coris Medicina Vascular, clínica para tratamento da doença endovascular, de Florianópolis, passa a integrar o Hospital Baía Sul e a Clínica Imagem, empresas sócias do grupo Hospital Care, holding que administra operações de saúde em São Paulo, Paraná e Santa Catarina. O anúncio foi feito pelo diretor-presidente do Hospital Baía Sul/Clínica Imagem, Dr. Sérgio Marcondes Brincas, que explica que a transação tem como objetivo incrementar os serviços de qualidade que já são oferecidos pelo Hospital Baía Sul e pela Clínica Imagem, além de permitir o crescimento dos serviços de alta qualidade já oferecidos pela Coris. “Unimos três marcas importantes e consolidadas no setor de saúde da capital com o objetivo de aperfeiçoar ainda mais o atendimento à população. Nosso projeto passa por agregar equipes profissionais de reconhecido valor, para ajuda-las a perpetuar o negócio e facilitar os seus projetos de expansão. A partir de agora, os profissionais e os pacientes da Coris contam com recursos avançados disponíveis no Hospital Baía Sul e da Clínica Imagem, e os nossos pacientes passam a ter à disposição o know how internacional da equipe da Coris”. Além disso, Dr. Brincas reforça que o consolidado modelo de gestão adotado no Hospital Baía Sul e na Clínica Imagem, a partir da entrada da Hospital Care, também será reproduzido na Coris. “ Temos um plano de investimento que ultrapassa R$8milhões na Coris para os próximos quatro anos. Estamos felizes com essa parceria e temos certeza de que a população de Santa Catarina só tem a ganhar”, finaliza.

17 de Novembro MAIS

Hospital Baía Sul e Clínica Imagem recebem certificação internacional que atesta qualidade e segurança na área da saúde

Instituições foram as primeiras do mundo a receberem o selo de maneira digital. Processo iniciou há dois anos. Na tarde desta sexta-feira, 28 de agosto, o Hospital Baía Sul e a Clínica Imagem, instituições de Florianópolis pertencentes à Holding Hospital Care, receberam a certificação canadense Qmentum, que atesta um padrão internacional de qualidade e segurança na área da saúde. As instituições foram as primeiras do mundo a passarem pela avaliação final de maneira digital. A acreditação tem validade de três anos. O diretor-presidente do Hospital Baía Sul e Clínica Imagem, Dr. Sérgio Marcondes Brincas, explica que o processo começou em 2018. “No início do programa, os técnicos responsáveis pela acreditação fizeram uma visita técnica que resultou em um plano de ação de melhorias que deveriam ser implantadas. Ao longo desse período, trabalhamos para mudar a cultura do hospital e da clínica e para implantar novos processos. Recebemos visitas trimestrais dos avaliadores do Programa, que ao longo do tempo, foram reconhecendo a evolução”, explica Dr. Brincas. A avaliação final foi feita nesta quinta e sexta-feira, e o Hospital Baía Sul e a Clínica Imagem foram as primeiras instituições do mundo a receberem a certificação de maneira digital. “A pandemia da Covid-19 nos ajudou a fazer história. O instituto responsável pela acreditação nos ligou perguntando se aceitávamos fazer essa avaliação final de maneira remota, que serviria de modelo para ser replicado no restante do país e também seria acompanhado por outros países do mundo. Passar por um processo como esse já é um desafio, fazer isso com pioneirismo, servindo de referência para o mundo, é um desafio maior ainda. Estamos muito felizes com essa conquista”, comenta o Dr. Brincas. O diretor técnico do Hospital Baía Sul, Dr. Rafael Vasconcellos, reforça a importância da conquista. “Um selo de certificação é um reconhecimento da qualidade e da segurança dos processos desempenhados no Hospital Baía Sul e na Clínica Imagem. Nos coloca em pé de igualdade com um grupo seleto de hospitais e instituições de saúde internacionalmente reconhecidos. Esse reconhecimento é resultado de um trabalho árduo da nossa equipe e por isso estamos muito felizes com esse momento”, comenta o diretor. Durante esses dois anos, as equipes das instituições trabalharam para estabelecer um padrão de segurança em seis frentes. A primeira era para implantar uma cultura de segurança dentro do Hospital Baía Sul e da Clínica Imagem. A segunda para aperfeiçoar a eficácia e a coordenação da comunicação entre os profissionais e os pacientes em todo o ciclo de tratamento. A terceira estipulou processos para garantir o uso seguro dos medicamentos. Também foram criados métodos para adaptar os ambientes para que se tornassem ainda mais seguros aos pacientes, para reduzir riscos de infecções e para identificar os graus de risco relacionados a cada paciente que passa pelas instituições. “A base da acreditação é o controle de qualidade e a gestão de processos. Se isso é importante em qualquer indústria ou em qualquer ramo da economia, imagina no setor da saúde, onde trabalhamos com vidas. Os processos bem estruturados ajudam a garantir a segurança”, comenta Dr. Brincas. Mais de mil profissionais do Hospital Baía Sul e da Clínica Imagem estiveram envolvidos no processo para garantir a certificação Qmentum às instituições. “Sabemos que foi um longo período e o maior desafio foi criar uma nova cultura dentro do Hospital e da Clínica Imagem. Isso só foi possível com a colaboração e empenho de toda a nossa equipe”, agradece o Dr. Brincas. Iluminou A iluminação do Hospital Baía Sul e da Clínica Imagem desde a noite dessa sexta-feira está chamando a atenção de quem entra na ilha pelas pontes Pedro Ivo e Hercílio Luz, e de quem circula pela região central da Capital. As cores azul, verde e vermelho são vistas de muito longe e tem uma explicação. São as cores da certificação Qmentum, conquistada na tarde da última sexta-feira pelas instituições. Com elas, o Hospital Baía Sul e a Clínica Imagem entram para um seleto grupo de hospitais e instituições de saúde internacionalmente reconhecidos pela qualidade e segurança na área de saúde. Os diretores do Hospital, Dr. Sérgio Brincas e Dr. Rafael Vasconcellos estão com um orgulho e tanto da equipe do Hospital. Reconhecimento Na tarde de ontem, 28 de agosto, o Hospital Baía Sul e a Clínica Imagem, de Florianópolis, receberam a certificação canadense Qmentum, que atesta um padrão internacional de qualidade e segurança na área da saúde. O diretor-presidente do Hospital Baía Sul, Dr. Sérgio Brincas, explica que o processo de certificação começou em 2018 e que avaliação final foi inédita no mundo. “A pandemia da Covid-19 nos ajudou a fazer história. O instituto responsável pela acreditação nos ligou perguntando se topávamos fazer essa avaliação final de maneira remota, que serviria de modelo para ser replicado no restante do país e seria acompanhado por outros países do mundo. Passar por um processo como esse já é um desafio, fazer isso com pioneirismo, servindo de referência para o mundo, é um desafio maior ainda. Estamos muito felizes com essa conquista”, comenta o Dr. Brincas.

17 de Novembro MAIS

Hospital Baía Sul alerta para a importância de buscar atendimento médico nos primeiros sintomas de AVC mesmo durante a pandemia

Na semana em que é celebrado o Dia Mundial de Combate ao AVC, o Hospital destaca a necessidade de obter ajuda médica rápida e adequada aos primeiros sinais da doença. Dia 29 de outubro é celebrado o dia mundial de combate ao AVC, Acidente Vascular Cerebral, popularmente conhecido como derrame. O AVC é o entupimento ou rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro, impedindo o funcionamento de uma ou mais regiões cerebrais afetadas. O Hospital Baía Sul, de Florianópolis, alerta para a importância de procurar atendimento médico imediato após perceber os primeiros sinais da doença, mesmo durante a pandemia, para que se reduza ao máximo os danos causados ao cérebro. O neurocirurgião Jorge Moritz explica que o AVC pode ser hemorrágico, quando há o rompimento de um vaso sanguíneo cerebral, ou isquêmico, no caso de uma obstrução arterial, esse o mais comum. Os sintomas de ambos incluem o aparecimento súbito de dificuldades na fala, na visão, dores de cabeça, perda de força e assimetria facial, confusão mental, desequilíbrio e tonturas. “Uma maneira de lembrar dos principais sinais de alerta é olhar a face e ver que está com a `boca torta`, notar a alteração na fala, e a perda da força em um lado do corpo; caso um dos três esteja visivelmente comprometido, deve-se buscar ajuda médica urgentemente", ressalta o Dr. Jorge. De acordo com o Ministério da Saúde, 100 mil pessoas morrem por ano no Brasil devido ao AVC, sendo essa a primeira causa de incapacidade no país e a segunda causa mais comum de morte. Saber reconhecer os primeiros indícios de um AVC pode salvar a vida do paciente, havendo a possibilidade de reverter a maior parte dos danos causados se houver atendimento especializado logo após o aparecimento dos sintomas. “Por isso é fundamental procurar ajuda médica já nos primeiros sintomas, mesmo neste período de pandemia. Os hospitais estão preparados com protocolos que garantem a segurança de todos. Deixar para depois a procura por atendimento médico pode causar perdas irreparáveis. Quanto mais demorar para levar o paciente ao hospital, menores serão as chances de reverter o quadro. A procura deve ser imediata”, comenta Dr. Jorge Moritz. Os principais fatores de risco evitáveis para o acidente vascular cerebral são o tabagismo e a obesidade, e condições médicas como hipertensão, colesterol alto e diabetes, quando não tratadas corretamente. Realizar o controle apropriado dessas doenças e levar um estilo de vida saudável e ativo são formas significativas de prevenir o AVC.

26 de Outubro MAIS
1 2